O Fabuloso Destino de Gisèle Alain

Tal qual os quadrinhos ocidentais, as incursões dentro do mundo dos mangás são uma roleta russa: um constante exercício mental de repetir o mantra “por favor, não jogue fora os trinta e sete minutos que passei navegando no mangaupdates  procurando a combinação de tags perfeita com decisões ruins de roteiro, sexualização gratuita de menores como se fosse algo socialmente aceitável e inclusão repentina de irritantes personagens arquétipos japoneses clichês,  por favor, não jogue fora (…)” conforme se vai avançando na leitura. De vez em quando, a tentativa dá certo, e é possível achar material como o charmoso Gisèle Alain.

Continuar lendo “O Fabuloso Destino de Gisèle Alain”